sábado, 7 de fevereiro de 2009

Memórias de Margarida, minha Irmã

Minha irmã Margarida aos 16 anos


Quadro (espelho) com o seu signo, Aquário


Amigas e Amigos

Passa hoje mais um aniversário natalício de minha irmã Margarida, falecida em 1972, que, se ainda estivesse entre nós, completaria 62 anos. Muito provavelmente teria o seu próprio blog e aqui andaria a fazer-nos companhia, partilhando alguns dos seus poemas, desenhos e ideias, como já fazia enquanto viveu, com os seus amigos de juventude. Só resto eu para transmitir algo das suas memórias, mas como ando prioritariamente a tratar de obras do meu Pai, como se compreende, dado a sua avançada idade, tem ficado para trás a obra da Margarida.

Minha irmã tinha muitos "hobbies", nomeadamente a leitura, e de entre esta preferia os autores de língua francesa e romance policial. Tendo enveredado pelo Direito e tencionando exercer a advocacia, ela gostava de seguir, nos meandros dos livros policiais, a perseguição, a descoberta e a punição dos malfeitores e criminosos.

Outras paixões eram escrever poesia, desenhar, pintar e a construção de réplicas de navios, que adquiria em caixas com centenas de peças em plástico que pacientemente pintava com enamel, colava e montava até o pequeno navio estar concluído até ao mais ínfimo promenor, reproduzindo o original. Dos três que havia construído à data do seu falecimento, ainda tenho um, algo danificado, e que um dia que tenha mais tempo tenciono reparar.

Pelos anos do Liceu Filipa de Lencastre, que frequentou sempre com bom aproveitamento e onde mais tarde eu também seria aluna, entre outras brincadeiras, escreveu alguns poemas humorísticos alusivos à vida liceal entre professoras e colegas, entre os quais escolhi este para vos mostrar. Claro que foi inspirado no famoso "Colchão dentro do Toucado" de Nicolau Tolentino.




Soneto

Lápis na mão, melena desgrenhada,
Batendo o pé no estrado, a senhora ordena
Que o furtado ponteiro, (a sua avena),
A aluna o ponha ali ou a empregada.

A aluna, moça esbelta e aperaltada,
lhe diz coa doce voz que o ar serena:
Sumiu-se-lhe o ponteiro? É forte pena;
Ai, e a senhora tão apoquentada...”

— "Vous repondez assim? Vous zombez disto?
Tu pensas que por seres boa aluna
Não te ponho na rua?" E, dizendo isto,

Levanta-se, avançando qual foguete.
Eis senão quando (caso nunca visto)
Cai-lhe o ponteiro do bolso do colete!



Margarida Nascimento

(anos 60)


Como se vê, também não lhe faltava humor, apesar de a maioria dos poemas que deixou ser em género mais sério.

Também deixo aqui três dos seus desenhos, feitos talvez ainda durante os anos do liceu. São os poucos que já digitalizei, mas ainda falta muito, nomeadamente algumas aguarelas em género japonês, que ela muito apreciava.



Armas de Camelot

A Equipa

O Mordomo


7 comentários:

Jorge P.G disse...

EXCELENTES DOTES DE ARTISTA!

COMO É MADRASTA A VIDA, LEONOR! AI, QUE RAIVA!

UM GRANDE, GRANDE ABRAÇO, HOJE BEM JUSTAMENTE ESPECIAL!

Jorge Guedes

Cata-Vento disse...

A Margarida seria uma artista como o pai e a irmã. Ninguém duvida disso,jardineira amiga. E se tivesse um blog tanto melhor para nós.Acho-a parecida contigo.

A vida é tão dolorosa!

Beijinhos mil, Nôzita!

Bem-hajas!

Teresa David disse...

JÁ VI ALGUMAS COISAS AO VIVO DA TUA IRMÃ E ONHECIA-LHE O TALENTO. O POEMA TEM GRAÇA MESMO QUE INSPIRADO NO TOLENTINO DE QUEM TAMBÉM GOSTO MUIT, E, COMO SABES PARTILHO COM A TUA IRMÃ APAIXÃO DOS POLICIAIS E LITERATURA FRANCESA.
ACHO BONITO CONTINUARES NA TUA SAGA DE DIVULGAÇÃO DAQUELES TALENTOS GRANDES NAS PESSOAS QUE TANTO AMAS.
BJS
TD

elvira carvalho disse...

A Margarida pelo que se vê era uma grande mulher, com dotes artisticos, muito desenvolvidos.
Quis o destino, a vida ou lá o que seja, que ela se fosse na flor da idade, deixando um vazio e uma saudade enorme.
Neste dia especial, um abraço de ternura, para si.
Um abraço

Gasolina disse...

A MEMÓRIA NÃO SE EXTINGUE, PERMANECE, EMPAPA E TRANSMITE-SE.

TU ÉS O EXEMPLO DISSO, SUA FERRAMENTA.

APESAR DE JÁ SABER DAS ARTES DE MARGARIDA É BOM VER OS SEUS DESENHOS, AS SUAS LETRAS, O SEU ENGENHO.

UM BEIJO A ELA QUE PERMANECE POR TI. E TU POR TI, POR QUEM ÉS, POR QUEM TANTO ESTIMO, OUTRO DOS GRANDES.

VAI UM EM SEPARADO PARA PAI RUI. SEI QUE ELE NUNCA ABRIU A CARTA.

Laura disse...

Sem dúvida, a Margarida seria Grande. Um beijo, sentido.

mariam disse...

ASPÁSIA,

BELÍSSIMA HOMENAGEM A SUA MANA! ELA ERA 'ESPECIAL' :)

UM ABRAÇO
O MEU SORRISO :) E UM BEIJO.

MARIAM