terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Ode de Gratidão ao Artista

Flor Fractal
Artistas eu conheci
que escreveram ou pintaram;
e, dos músicos que ouvi,
houve alguns que me “tocaram”,
a alma me dedilharam
e grande emoção senti.

Sim, que a alma é instrumento
e o mais belo de tocar...
E o Artista tem valimento,
se nos vai ao sentimento,
se com graça e com talento
nos faz rir... ou faz chorar...

Artista, que me fizeste
emudecer e vibrar:
pelo muito que me deste,
por este nó na garganta,
por essa Beleza tanta
que conseguiste expressar,

Artista, eu te agradeço
a frase, a nota ou o verso,
a pintura ou a canção;
o riso é vinho e é pão...
e as lágrimas não têm preço,
se na Beleza têm berço...
e dão vida à Ilusão.



Aspásia 05





P.S. - Já depois de publicada esta postagem, acabo de saber do falecimento de um grande Violinista, amigo de meu Pai, com quem muitas vezes tocou em dueto, ambos como frequentadores da Academia dos Amadores de Música.

Ramiro Simões era o seu nome, e durante anos foi visita aqui de casa aos Domingos, para ensaiar com meu Pai, a quem muito ensinou, pois este Amigo, bancário de profissão, possuía o Curso Superior de Violino. Por vezes tocava no Teatro Nacional em dueto com um pianista, aquando dos intervalos dos espectáculos, como em tempos era uso nos grandes teatros.

Conta ainda meu Pai, que aquando do incêndio do Teatro Nacional, onde o Sr. Ramiro tinha deixado um violino Stradivarius que na altura possuía, voltou atrás e arriscou a vida, conseguindo salvar o seu precioso instrumento.

Escrito em 2005 e dedicado a todos os Artistas em geral, este poema é hoje dedicado em particular à memória deste Amigo e Artista.

13 comentários:

Cata-Vento disse...

Amiga eu te agradeço
Ter a tua amizade
Não sei bem se a mereço
Só sei que não te esqueço
E se um dia não te vejo
Sinto logo a saudade

Uma sextilha mal feita mas que diz aquilo que sinto por ti, Nôzita.

Belo poema, querida amiga! Fico sem palavras.

Beijitos mil

Cata-Vento disse...

Amiga eu te agradeço
Ter a tua amizade
Não sei bem se a mereço
Só sei que não te esqueço
E se um dia não te vejo
Sinto logo a saudade

Uma sextilha mal feita mas que diz aquilo que sinto por ti, Nôzita.

Belo poema, querida amiga! Fico sem palavras.

Beijitos mil

Laura disse...

Que palavras tão bem esccritas! De certa forma aqui me enquadro por causa do meu Teatro.

Nãot enho dúvidas que tu também...

Um beijinho

Teresa David disse...

Um belo poema que homenageia muito bem o falecido que não conheci mas certamente seria um virtuoso como o teu pai.
Bjs
TD

Jorge P.G disse...

À memória de um Artista e Amigo, este poema é tão lindo e tão simples como tudo o que é belo sabe ser.

UM ABRAÇO contristado, Leonor e Pai Rui.

Gasolina disse...

ARTISTA TU.

SE DE ALMA SE FALA AQUI, DIGO ASPÁSIA.
COM O NÓ.

UM BEIJO JARDINEIRA.

E OUTRO PARA PAI RUI. FORÇA!

pin gente disse...

E É UMA FANTÁSTICA DEDICATÓRIA AMIGA.
TAMBÉM TU ÉS ARTISTA.
BEIJO

elvira carvalho disse...

Passei. Deixo um abraço e um enorme obrigada pelo seu mail. Tudo de bom para si e para o sr. seu pai.
Bom Domingo

pin gente disse...

GOSTASTE? ENTÃO VAI CONHECER O "BANANA OU CHOCOLATE ?"
É NA CASA AO LADO... ENTRA, NÃO É PRECISO BATER À PORTA!

BEIJÃO GRANDÃO

mariam disse...

ASPÁSIA

BELO POEMA E BELÍSSIMA HOMENAGEM AO VIRTUOSO HOMEM VOSSO AMIGO.

UM GRANDE ABRAÇO A SI E SE PAI.
E UM SORRISO DE ÂNIMO AOS DOIS :)
MARIAM

Jorge P.G disse...

DEIXO HOJE, APENAS, O MEU ABRAÇO.

Gasolina disse...

ALÉM DE ME ESPALHAR PELOS CANTEIROS E BEBER DA ÁGUA DO POÇO, VIM À PROCURA DE NOVAS FLORES.

DEIXO BEIJOS, AQUI, ALI, ALÉM.

PS: QUE AVATAR FANTÁSTICO V.SENHORIA TEM!!!

Casa da Árvore disse...

A CASA ESTÁ PRECISADA DE GARGALHADAS, RISOS, RUÍDOS QUE A DESPERTEM E A FAÇAM VIVER.

QUE ME DIZES OPERÁRIA ASPÁSIA?

BEIJO