quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

O Amor há 70 Anos
(Carta de Amor por Procuração)

O Ungüento de Basalicão


Trago-vos hoje uma curiosidade alusiva à época CarnaValentina (eheheh...) que atravessamos!
Uma Carta de Amor, ou melhor, o seu rascunho, que descobri há pouco tempo, escrita por meu Pai há 70 anos, em Setúbal, a pedido de um amigo boticário, a quem faltava o engenho e arte para se declarar a uma bela menina, Maria Cecília de seu nome, que era soprano no Orfeão Cetóbriga, onde meu Pai também cantava.


Aqui podem ver as cinco folhas do "rascunho" original que ficou em poder do meu Pai até hoje. Naturalmente, terá sido "passado a limpo", antes de ser entregue à diva idolatrada pelo humilde boticário... Desde já aviso que a carta se encontra transcrita mais adiante, pois já a nossa amiga Elvira, que o não sabia, se deu à trabalheira arqueológica de ler as páginas do rascunho... um azar de 6ª feira, 13, como ela já comentou.







Parece que apesar das inspiradas linhas do procurador, a carta não surtiu o efeito desejado... e ao infeliz boticário não restou mais que aplicar "ungüento de basalicão" nas feridas de amor!...

E uns meses mais tarde, meu Pai revelou à amiga e colega do Orfeão quem tinha sido o verdadeiro autor da inflamada missiva. Parece que todos se divertiram muito com o caso, incluindo o preterido boticário Júlio!

(Segue-se a transcrição, respeitando a ortografia da época.)

******

Setúbal, 16 de Fevereiro de 1939

Excelentíssima Senhora

Eu quizera fazer calar no peito meu sofredor o sentimento insensato, porventura, que nêle nasceu e se enraizou de tal arte que me obriga a dar êste passo, a vir junto de vós, como o peregrino vai junto da capela longínqua, lançar-se aos pés da imagem da sua devoção, a implorar, a confessar.

A dizer-lhe da chama extranha e devoradora que reacendeu no meu ser e que é para mim, simultaniamente, a luz que me prende à vida e o fôgo que me há-de devorar até à morte.

Não supunha, minha senhora, que no contacto diário dos ungüentos e águas bóricas se não possam inflamar as paixões mais avassaladoras e imperiosas.

Um boticário humilde pode levantar seus olhos, quando nêles brilhe o fôgo sincero do amor, para a dama que lhe avassala o pensamento, como o crente mesquinho pode e deve! elevar para Deus seus olhos a transbordar da chama da Fé; como o rústico pastor olhou o Menino, filho de Maria Santíssima e nascido no palheiro redentor lá nas terras benditas da Judeia.

Quando dancei consigo, quando a ouvi, fiquei prêso e a desejar prender-me mais ainda.

O seu encanto perturbante, fascinador, qualquer coisa de inexplicável e dominadora, rendeu-me.

Olhar que tentaria o próprio José do Egipto, se êle tivera a ventura de a conhecer, como lhe resistiria eu, alma isolada do mundo, alma danada a refrear o anceio ardente do seu sonho entre hóstias de vários tamanhos e frascos de diversas embocaduras e misteriosos rótulos?!

Minha senhora, o sentimento que em mim despertou não podia, não devia ficar sepultado em meu peito, amortalhado no negro dominó que me disfarçava.

Nessa mesma noite ficou sabendo quem sou; hoje atrevo-me a confessar-lhe a minha esperança.

Se alguma estima pode ter por quem a adora e só a si vê, se a minha sincera confissão algum eco puder ter na sua alma, leve uma flor ao peito ao baile do Grémio.

Dessa Mão depende agora a felicidade que sonhei.

Esta carta escrita na quadra de folguêdos que atravessamos, poderia parecer brincadeira se a expontânia sinceridade das minhas palavras não fosse o penhor mais fiel da verdade de quanto lhe digo.

E termino, que já me estou alongando e o tempo urge. Agora mesmo entrou uma freguesa a comprar 5 tostões de basalicão. Pudera êsse unto balsâmico diminuir a amargura que trago no coração como há-de curar o furúnculo que ela tem na ponta do nariz!

Mas é impossível! Para o mal da minha alma o único basalicão é o seu amor!

Seu admirador sincero e apaixonado,

Júlio P.


NOTA: O unguento de basalicão (nome popular da planta basílico), usava-se no tratamento de furúnculos.

11 comentários:

elvira carvalho disse...

Muito interessante. Aqui a menina esteve a ler com toda a atenção as cartas, (depois de ampliadas) a tentar perceber a letra e quando chego ao fim toda contente de ter conseguido ler, deparei com a escrita impressa... Coisas da Sexta-feira 13.
Um abraço e bom fim de semana

Teresa David disse...

1º quero sublinhar a tua nova foto do jardim contigo própria a enfeitá-lo e bem, estás bem gira.
2º A linguagem daquele tempo fez-me rir pois uma jovem deste tempo que recebesse uma carta assim escrita no mínimo diria: que m.... é esta!
Mas para a época é uma verdadeira delícia.
Ainda bem que nos vais mostrano estas preciosidades.
Bjs
TD

pin gente disse...

MINHA QUERIDA
A CARTA ESTÁ DIVINA. ANDEI EU A ARMAR-ME TENTANDO ESCREVER UMA CARTA QUANDO AQUI VENHO ENCONTRAR UMA OBRA PRIMA. O TEU PAI É UM SER MAIOR. E QUEM SAI AOS SEUS NÃO FICA MAIS PEQUENO.

UM BEIJO GRANDE
(A MINHA MÃE NASCEU NO MESMO DIA DA CARTA, NATURALMENTE NÃO NO MESMO ANO)

amigona avó e a neta princesa disse...

Minha querida aspásia está fenomenal! Que maravilha! Beijos querida...

Gasolina disse...

ADOREI!!!

MAS A MINHA PARTE PREFERIDA É A DO SINAL: A FLOR AO PEITO!!!
AH! E SÓ DE IMAGINAR O BAILE QUE PODERÍA TER ACONTECIDO NO GRÉMIO...
LINDO, LINDO!

ISTO É UM TESOURO!

BEIJOS PARA TI
(V.SENHORIA ESTÁ ENCANTADORA NO NEW AVATAR)
E PARA O AUTOR DISTINTÍSSIMO PAI RUI!!!

Laura disse...

Que mais posso eu dizer?... Lindo!

Cata-Vento disse...

Gostei muito, amiga! Que carta lindíssima! O amor incendiou o coração do boticário e o dela também terá inflamado?

Espero que sim. Fiquei deliciada!

Beijinhos mil

Bem-hajas!

Jorge P.G disse...

UM MIMO!!!!

ABRAÇÃO.

ASPÁSIA disse...

AMIGOS/AS AGRADEÇO COMOVIDA AS VOSSA VISITAS, ASSIM COMO O PAI, QUE NUNCA PENSOU QUE ESTES "MIMOS" SAÍSSEM UM DIA DO PÓ ONDE ESTAVAM SEPULTADOS HÁ DÉCADAS.
TEM-SE SIDO MUITO DIFÍCIL, COMO CALCULAM, TRAZER À LUZ DO SÉCULO XXI ESTAS OBRAS, MAS SOU RECOMPENSADA POR VO-LAS DAR A CONHECER.

COMO DIZ UMA GRANDE AMIGA, BEM-HAJAM!

TANTO MAIS QUE POUCO POSSO RETRIBUIR AS V/ VISITAS COMO SABEM.

ABRAÇOS MEUS E DO PAI PARA TODOS VÓS.

ASPÁSIA disse...

ERRATA

"TEM-ME SIDO"....

Maria João Brito de Sousa disse...

QUE DELÍCIA, LEONOR!!!
EU ESTIVE QUASE A IMAGINAR QUE TERIA DE PASSAR PELA MESMÍSSIMA TAREFA DA ELVIRA... MAS AVISOU-ME A TEMPO! EHEHEH...

BJO!