segunda-feira, 30 de janeiro de 2006

Aspásia de Mileto mandou postal



A minha homónima da Grécia Antiga mandou-me um postal. Aqui está ela no jardim tentando salvar as suas queridas flores da neve que inopinadamente caiu hoje em Mileto.
* * *
Saudações, Aspásia do Sec. XXI!
Também me chamo Aspásia, mas vivi de 470 – 410 a.C..
Nasci em Mileto, na Ásia Menor e fui educada por meu pai. Fui para Atenas para completar a minha educação. Uma vez que era estrangeira, não ficava restringida às actividades domésticas impostas às esposas dos atenienses.
Tornei-me professora de retórica e nos “Diálogos“ de Platão está registado que eu ensinei Sócrates. O meu salão é frequentado por líderes intelectuais da Polis e na nossa tertúlia discutimos política e temas científicos.
Embora eu não seja uma matemática o meu uso da lógica e do raciocínio dedutivo ajudaram a criar um ambiente onde os matemáticos se desenvolvem e prosperam.
Sou amante de Péricles, o líder político e militar de Atenas e diz-se que sou eu a escrever muitos dos discursos pelos quais ele é tão famoso, mas isso são as más-línguas. Infelizmente não podemos casar pois eu sou estrangeira. O nosso filho tem agora quatro anos e já mostra grande curiosidade por tudo o que o rodeia. Em breve chamarei Tirésias para seu perceptor.
Vê bem o que aconteceu hoje! Fui visitar meu pai a Mileto e de manhã começou a nevar, o que já não sucedia há 52 anos, segundo diz meu pai. Tinha acabado de acordar e corri ao meu querido jardim, sem sequer me cobrir com um manto, para salvar algumas begónias e narcisos da neve impiedosa... Espero é não me constipar, pois Asclépio foi visitar Hipácia de Alexandria, que o chamou há três semanas devido a umas enxaquecas que muito a atormentam. Também com o trabalhão que aquela biblioteca lhe dá, não me admiro.
Tu dizes que agora há bibliotecas desse tamanho que cabem todas num pauzinho chamado stick, mas um dia tens de me explicar isso com mais vagar. Bem, da minha parte também mandei à Hipácia um chá de unha de morcego macerada em óleo de fígado de tritão, com que em tempos me dei bem, na altura do mestrado que fiz com o Platão e passava noites inteiras a ler as sebentas de Retórica, Lógica e Geometria.
Bem, cara amiga, por hoje não te maço mais.
Beijos para ti e teus amigos dessa estranha coisa a que chamas blog...

2 comentários:

maria disse...

Vim até aqui kuskar o início.
Houve uma coisa que me fez rir: O Mestrada do Aspásia. Não, não sabia que ela tinha feito Mestrado!
Ok. fora de horas, mas fica aqui dito.
Mestrados!
Corrida aos canudos!
Que se vejam estrelas por esses canudos, pois então!

tufa tau disse...

está um postal e peras...
bonita aspácia
beijo