quinta-feira, 22 de novembro de 2007

CATEDRAL


Olhando ao longe a planura,
numa manhã outonal,
ergue-se a alta figura,
– Pai-Nosso em arquitectura –
duma antiga catedral.

É visão inesquecível,
aguarela austera e pura.
Majestosa, imperecível,
por artesão intangível
talhada na pedra dura.

Acerco-me lentamente
e em grandeza vai crescendo.
Sobre a pedra que não mente,
olho mais atentamente,
velha inscrição desvendo.

Sé pelo Homem erguida
para dar a Deus sinal
de fé na Lei recebida,
é promessa nesta vida,
esperando na Vida imortal.

Lugar de meditação,
abriga no coração
a qualquer que nela entre.
Não vê cor ou condição
nem mesmo faz distinção
entre o crente e o não-crente.

Cruzando o largo portal,
entro, sem fazer rumor.
Coalhado dum vitral,
irisa a água lustral
um reflexo multicor.

Sobre o altar principal,
em retábulo pintado,
o Anjo celestial
ergue a pedra sepulcral
a Jesus ressuscitado.

Oiço vozes de oração
que se elevam em espiral.
Pedirão, talvez, perdão,
ou tão só resignação
para tanta dor e mal.

O velho órgão harmoniza
um cântico angelical.
Não pede, não catequiza,
mas dá alma a quem precisa
– Sinfonia Pastoral.

Fôra eu crente e, talvez,
no meio desse coral
encontrasse a placidez,
esquecendo os mil porquês
da Ciência racional.

Assim, enquanto a visito,
não rezo, apenas medito,
banhada na luz claustral:
pudesse o caos inaudito,
ferro e dor, espanto e grito,
pesadelos do real,
dar lugar a um coral
– eco humano de Infinito…
e o Mundo enfim sem conflito,
mais perto do Ideal,
vogasse no mar infindo
do azul universal.

Aspásia 96


Allein Gott in der Höh´ sei Ehr

J.S. Bach
Órgão - Otto Winter

5 comentários:

Sophiamar disse...

Mas a menina ainda não publicou livro de poemas? Não estou a brincar, não, Aspásia. Gosto muito de poesia e quando leio o que escreves fico com o desejo de adquirir um livro que contenha estas belas composições. Espero que tudo esteja bem contigo e com o pai.

beijinhos mil

Sophiamar disse...

As tuas palavras são sempre tão afáveis! Quanto ao tema dos parasitas, no dia em que foram à escola fazer a desparasitação foi um alívio. Fiquei dispensada. Ufa!!!!

Beijinhosssss

amigona avó e a neta princesa disse...

Lindo, querida! mando um beijo para ti e pai...

gasolina disse...

ASPÁSIA,

A CADA POEMA TEU O MEU DESLUMBRE AUMENTA, A MINHA ADMIRAÇÃO POR TI CRESCE.

NÃO ME INTERSSA SE É DE 96: É SEMPRE BELO.

OBRIGADO (REPETINDO O MESMO...)POR ILUSTRARES ASSIM QUALIDADE.

UM BEIJO ENORME PARA TI, MINHA AMIGA

NARNIA disse...

"e o Mundo enfim sem conflito,
mais perto do Ideal,
vogasse no mar infindo
do azul universal"

Devia ser assim...
gostei imenso.

BJGRANDE