sexta-feira, 10 de agosto de 2007

O Porto Sentido... a Sul

A amiga Sophiamar publicou há dias um Post contendo um Vídeo com a bela canção Porto Sentido. De imediato e com alguma emoção, recordei este Post que coloquei neste Jardim, há um ano atrás. Querida Sophiamar, apesar de já te ter deixado um link para o meu antigo Post, decido mesmo republicá-lo, dedicando-to com o maior carinho, pois "a Amizade só pode existir entre quem ouve a mesma Canção" ! Um grande beijo meu, sentido em Lisboa, sente-o tu onde quer que te encontres!


O Porto ao entardecer
(Foto
daqui)

Pelo "Porto Sentido" já eu ficara apaixonada desde a primeira audição. Para mim continua mesmo a ser a mais bela canção do Rui Veloso. Não só pelos versos e melodia incomparáveis, mas também porque, dedicada a uma cidade, parece também dirigida a alguns de nós em certas fases da vida.
Há um bom, mas mesmo bom par de anos, princípios de Março, fui passar uns breves dias de férias a um Algarve completamente primaveril. No caos do saco das cassettes de então, lá ia também uma do Rui Veloso. Os diazitos decorreram breves, algumas correrias para conhecer melhor o Barlavento, desde Quarteira ao Cabo de S.Vicente, ali, onde a terra acaba e o mar começa, gozando da hospitalidade de uma amiga de Lagos. O último dia, esse, aproveitado para descansar um pouco na paz e sossego de Pedras da Rainha, quase no extremo oposto. E na manhã seguinte, mesmo antes do regresso a Lisboa, carro já atafulhado, não resisto, um passeiozinho à beira da Formosa, o pinhal de Cabanas cá em cima, a ria lá em baixo, belezas estas já bem conhecidas de outras estadias, mas sempre saudosas, de tão distantes. E nessa altura do ano, imperturbadas pelas multidões estivais... Então, ideia brilhante, ouvir ali na luz, tão a Sul, o “Porto Sentido”… faria sentido??? Um dia já recuado, "o Corridinho foi dançando até Lisboa...", porque não levar eu agora o Porto ao Sotavento Algarvio? Digressão por sinal bem mais longa...
E na luminosidade feérica de um meio-dia algarvio, reflexos intensos na água azul e desabrochar de verdes atrás de mim, começo a ouvir a voz e a música do Rui e as palavras do Carlos Tê. Luzes sombrias, tons cinzentos, neblinas e lampiões, pedras sujas e gastas da sua bela Cidade, não pareceram entrar em conflito com a luz forte, o azul intenso, o claro areal algarvios. Belezas tão distantes – afinal se calhar só no mapa – mesmo ali não colidiam, complementavam-se, olhos e ouvidos estavam em harmonia,.. E, quando a canção chegou ao fim, jeito fechado de quem mói um sentimento e altivez de milhafre ferido na asa, percebi também não serem exclusivos de uma cidade ou lugar. Senti-os plenamente humanos e, por isso mesmo, universais.


A Praia de Cabanas
(Foto Aspásia)

* * *
Nota: Esta "história" passou-se em Abril de 1994. Foi lida no programa "História Devida" de dia 7 de Agosto de 2006 da Antena 1. (Infelizmente, creio que já não está disponível nos podcasts da RTP.)




Neste mesmo dia, há 51 anos, meus Pais partiam para o Porto em lua-de-mel. Infelizmente, minha Mãe já não está connosco para hoje comemorarem as Bodas de Ouro. Fica mais esta recordação...

9 comentários:

irneh disse...

OLÁ

PASSEI PARA DEIXAR UM BEIJINHO E LER UM POUCO DOS TEUS TEXTOS QUE SÃO SEMPRE MUITO INTERESSANTES, QUER EM PROSA QUER EM POESIA.

BEIJINHOS

Teresa David disse...

Também gosto muito deste Porto Sentido, que acho de grande inspiração.
Bjs
TD

amigona avó e a neta princesa disse...

Passei para te deixar um abraço...

sonhadora disse...

Cheguei a este porto e fiquei deliciada. Pela beleza do post, pelas recordações, pelas palavras sentidas, pela excelência do tecido humano de quem o escreveu...

Beijinhos embrulhados em abraços

Sophiamar disse...

Minha Doce Amiga

Deixaste-me com as lágrimas nos olhos e um nó na garganta. Um post perpassado de ternura, amizade, alegria... e muito mais mas faltam-me as palavras. Escreves muito bem, eu já o sabia, mas para passar para cada um de nós esta catadupa de sentires como o fizeste não basta escrever bem. É obrigatório ter muito mais. E os teus pais, que hoje comemorariam os 51 anos de casados, transmitiram à filha valores que não têm peso nem medida.Incomensuráveis. Logo que possas abre o blog a toda a gente porque quem assim escreve deve dar-se a conhecer a quem gosta de andar pela blogosfera.
És uma amiga grande.
Beijinhos

MJ disse...

Minha querida :-)

Sinto-me diminuta quando leio o que escreves... Mas, ao mesmo tempo, quase rebento de orgulho por conhecer alguém tão especial como tu. :-)

Não conhecia esta tua maravilhosa "História Devida", apesar de um dia te teres referido a ela. Creio que foi quando me incentivaste a enviar para a A1 a minha "Olinda" :.)

Um beijo enorme*

Sophiamar disse...

Bom dia, Querida Amiga!

Passar por este jardim é receber uma lufada de ar fresco, de amizade, de alegria, de são convívio.
Deixo-te beijinhos. Muitos. Com a amizade do costume.

Gasolina disse...

MAS ESTÁS TU PARA O SUBLINHADO E PARA ME DARES A CONHECER O TEU TEXTO.

LINDO! LINDO!

JUNTA-LHE O "CAVALEIRO ANDANTE"!

E UM BEIJO MEU, AMIGA!

tufa tau disse...

DEIXO-TE O MEU BEIJO E JÁ ESTOU ARREPENDIDA DE TER ROUBADO ALEGRIA ÀS FOTOS.