quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

TESTAMENTO



Quis tanto que fosses meu,
quis ter-te de corpo e alma,
mas todo esse querer morreu,
e agora, que morro eu,
tudo te deixo em herança,
toda a fúria e toda a calma,
toda a dor e toda a esperança...
sim, tudo o que é meu é teu.

Toda a troça, todo o credo,
todo o mel deste segredo,
todo o fel deste degredo,
todo o Inferno, todo o Céu.
Toda Vénus, todo Marte,
toda a Ciência e toda a Arte,
toda a luz e todo o breu...
sim, tudo o que é meu é teu.

As canções, as gargalhadas,
as tropelias, as farsas,
o teatro e as mascaradas,
os vilões e as desgraçadas,
as ceifas, as desfolhadas,
os fados e as desgarradas,
os elefantes e as garças,
as madressilvas e as sarças,
as noites e as madrugadas...

Explosões de supernovas,
folhas caídas no chão,
cantigas, odes e trovas,
hinos de libertação,
alegrias e más novas,
grandes e pequenas provas
em tempos de provação,
sim, tudo o que é meu é teu
que eu já nada quero, não.

Beethoven, Mozart, Chopin,
Vivaldi, Brahms, Débussy,
Fauré, Falla e Albeniz,
Verdi, Lizst e Couperin,
Mahler, Rossini, Berlioz,
Tschaikovsky, Schubert, Ravel,
Gershwin, Bernstein e Gardel,
valsas tristes, sinfonias,
rapsódias, polcas e tangos,
salmos, missas, litanias,
quartetos, polifonias,
nocturnos e fantasias,
sambas, batuques, fandangos,
sons e luzes da ribalta
teus dias inundarão,
que aos meus já não fazem falta,
eu já não sinto emoção.

Vicente, Camões, Pessoa,
Camilo, Eça, Aquilino,
Torga e António Vieira,
Régio, Florbela e o Sadino,
Cesário, Eugénio de Andrade,
Vergílio e Saramago...
Rostand, Verlaine, Rimbaud,
Voltaire e Victor Hugo,
Schweitzer, Saint-Exupéry,
Teresa de Calcutá,
Pierre e Maria Curie,
Pasteur, Abel Salazar,
e Agostinho da Silva,
(homem de filosofar),
Galileu, Newton, Einstein,
Stephen Hawking, Carl Sagan,
Freud e Pierre Coubertin,
Dali, Picasso, Gaudí,
Miguel Ângelo e El Greco,
Da Vinci e Umberto Eco,
William Shakespeare, Oscar Wilde,
Cervantes e Rosalía
e Federico García,
Neruda e Jorge Amado...
Visconti, Disney, Charlot,
Bergman, Tati e Truffaut,
e mais outros que à lembrança
me ficaram por chegar,
todos te deixo em herança,
todos te quero legar.

Trovas, odes, salmos, cantos,
sagas de cavalaria,
crónicas, sonetos, prantos,
romances em poesia...
Quadros de uma exposição,
cores quentes, cores frias,
pedra afeiçoada à mão
durante mais de mil dias...
Mas de toda a condição
e toda a variedade
de artes e sabedorias,
maior é um coração
que, apesar da adversidade,
dá amor todos os dias.

Correrias de crianças,
gemidos de moribundos,
tempestades e bonanças,
batalhas e alianças,
átomos, homens e mundos.
Dez lágrimas de vestal,
cem notas de partitura,
mil pedras de catedral,
dez mil sedes de água pura,
todo o mal e toda a cura
e um coração de cristal.

Toadas de carrilhão,
caravelas afundadas,
esmolas na palma da mão,
prostitutas maquilhadas,
a navalha do ladrão,
uma cama de cartão,
quase-tudos, quase-nadas.
Chuvas quentes, tropicais,
neves, granizos, geadas,
desertos e pantanais,
demónios, espectros e fadas.
A cor nos olhos do cego,
a voz na boca do mudo,
sorrisos por quase nada,
lágrimas por quase tudo.

Lábios frescos de morangos,
corpos nus em bacanais,
luxúrias, gulas, orgias,
sete pecados mortais,
maus-olhados, bruxarias,
paraísos infernais,
purgatórios, agonias,
vielas e mourarias,
becos tristes, irreais,
onde os dias não são dias,
nunca se dorme ou descansa
e o espectro da Morte dança,
fixando órbitas vazias
nos olhos de uma criança,
tudo te deixo em herança,
incluindo as mais-valias.

Estilhaços de encantamento
perdidos na confusão
dos dias de sofrimento,
das horas de maldição...
Retalhos de um sentimento
que escorre do coração,
que é sangue e grito e lamento,
mas faz bela a solidão...
Centelhas de desespero
e auto-destruição
por ver que um amor sincero
morre sem consumação,
tudo deixo em testamento,
e quer aceites ou não,
aqui lavro o documento
e assino por minha mão.

Já que não podes ser meu,
mato este desejo ardente,
e o sol que me enlouqueceu
condeno a ser sol-poente...
neste coração demente
decreto que reine a calma,
só o tédio o atormente,
só poesia o alente,
só no sofrer ganhe a palma...
a culpada sou só eu
de tudo o que é meu ser teu,
todo o Sonho nesta mente,
todo o Clímax neste corpo,
todo o Inferno nesta alma.



Aspásia

(Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.)


(Imagens retiradas do Google Images.)



La Septième Cible
Vladimir Kosma

43 comentários:

MJ disse...

Minha querida:

Não há palavras que, após a leitura de um poema destes, consigam transmitir o que nos vai na alma.

És realmente GRANDE!

Um beijo do teu tamanho*

Aspásia disse...

BOM DIA AMIGA

QUE BOM ACORDAR COM AS TUAS PALAVRAS DE GRANDE AMIZADE!!!

DE FACTO EU MUITO PEQUENA NÃO SOU... TENHO 1,72 m...

UM BEIJO ENORME*

estoriadora disse...

Querida Aspásia,
Diga-me que seu Pai está melhor. Que erro o meu não ter visitado o Blog dele antes... Estou tão emocionada que nem sei que dizer, nesta atrapalhação culpada. OBRIGADA, amiga.
Aquela árvore é um bambú: verga ao vento, mas RESISTE! Sempre.
Um abraço e muita CORAGEM.
Maria Luísa Monteiro

Burlesconi disse...

Um grande aplauso para si, cara Aspásia.
Decididamente, a poesia corre-lhe nas veias...
Beijinhos

Paulo Silva disse...

Tudo aquilo que sentes.
Tudo aquilo que vês.
Mas que poema tão lindo.
Grande poetisa és.

Beios e bom fim de semana.
Paulo Silva

david santos disse...

Olá!
Espectacular!
E eu não conhecia este blog.
Parabéns.

vareira disse...

Simplesmente FANTÁSTICA.

perola&granito disse...

Bom fim de semana

alquimista disse...

ASPÁSIA AMIGA:

Isto só pode sair de uma cabeça super iluminada.

Muitos parabéns

MJ disse...

E não é que vim aqui ver se tinhas as tais roupas para nos mascararmos! :-))))

Movimento em Defesa do Rio Tinto disse...

É possível caminhar por um rio.
"Por vezes, somam-se ilusões. Acumulam-se fundos nas esperanças."
(excerto de um texto de Zé "Prisas" Amaral, internado no Estabelecimento Prisional de Lisboa)
Nós temos ilusões e esperanças de que haveremos de salvar um rio.
Engrossem, connosco, este caudal de esperanças e de sonhos.
Brevemente, caminharemos pelo nosso rio.

Teresa David disse...

Aspásia,

Isto é poesia! Porque não é poeta quem quer, mas sim quem transporta a palavra dentro de si, e a sabe usar com mestria e grandeza como é o seu caso. Tenho-a tratado por tu, e não me trata, mas acho que a cumplicidade de quem escreve nos permite tal tratamento.
Só posso dar-lhe os meus sinceros parabéns, pois o que acabei de ler é do melhor que vi pelos blogs, e visito alguns.
Não tem livros publicados?
Já vi tão tão tão pior em letra de forma!
Claro, que no enquantohouvertempo já tinha dado para ver a sua facilidade em construir bons poemas, mas este realmente é daqueles que pode orgulhar-se pela qualidade e conteúdo.
Bjs
TD

Teresa David disse...

Como gostei tanto do que li por aqui acabei de fazer o link directo no meu blog para poder amiúde visitá-la mais facilmente.
Bjs e bom fim de semana com diversão de carnaval ou não
TD

Teresa David disse...

Por ter gostado tanto do seu poema, já dei indicação a gente minha conhecida para não deixar de a visitar e lê-lo.
Bjs
TD

MARTA disse...

Olá, eu vim através da Teresa David.
Palavras simples que abrem a fronteira de uma dor profunda...
Gostei também da imagem e da música.
Obrigada pela partilha.
Beijos e abraços
Marta

Aspásia disse...

TERESA

MUITO GRATA PELAS AMÁVEIS PALAVRAS.
CLARO QUE PODEMOS TRATAR-NOS POR TU.

NADA PUBLIQUEI ATÉ HOJE, EMBORA EM TEMPOS TENHA APRESENTADO ALGUNS POEMAS À CAMINHO.

ENTRETANTO A LONGA DOENÇA DE MINHA MÃE, FALECIDA EM 2002, E O MEU PRÓPRIO PROBLEMA DOS OLHOS (BLOG OLHO SECO) NÃO ME PERMITIRAM PENSAR MUITO NISSO.
ISSO IMPLICA UM GRANDE TRABALHO DE COMPILAÇÃO E ORGANIZAÇÃO.
ALÉM DISSO A DAR-SE O CASO, GOSTARIA DE FAZER ALGUMAS ILUSTRAÇÕES PARA UM LIVRO.

Aspásia disse...

ENTRTANTO, DADA A AVANÇADA IDADE DE MEU PAI E ALGUM ENFRAQUECIMENTO DA SUA SAÚDE NOS ÚLTIMOS MESES, FAZ COM QUE SE TORNE URGENTE EU DEDICAR-ME A ALF«GUMA DIVULGAÇÃO DA OBRA DELE, O QUE TENHO FEITO NO BLOG "O QUINTAL DO MEU PAI".
ATÉ AGORA PRATICAMENTE SÓ NO CAMPO DA POESIA, MAS A PRINCIPAL OBRA DE MEU PAI É NA COMPOSIÇÃO ARTÍSTICA EM XADREZ OU SEJA, PROBLEMAS FIGURATIVOS.
ALIÁS RECEBEU O TÍTULO DE MESTRE HONORÁRIO DE COMPOSIÇÃO DA FIDE.

COMO NÃO TENHO NINGUÉM Q ME POSSA AJUDAR EM TUDO ISTO, POIS A FAMÍLIA MAIS PR´XIMA NÃO VIVE EM LISBOA E ALIÁS NÃO TEM CONHECIMENTOS NEM TEMPO PARA TRABALHOS DESTE GÉNERO, OLHE VOU FAZENDO O QUE POSSO E ÀS VEZES O Q NÃO
POSSO, MAS TENTANDO AO MESMO TEMPO DIVERTIR-ME NA MEDIDA DO POSSÍVEL...

UM ÓPTIMO CARNAVAL PARA TI AMIGA.

BEIJINHOS.

Aspásia disse...

ESTORIADORA

JÁ LHE RESPONDI NO QUINTAL.

EM TEMPOS VI O SEU BLOG CONTARELOS... ENTÃO NÃO PASSOU DO CARBONO... 14? O BLOG FICOU "DATADO" NO TEMPO AO Q PARECE...

BOM CARNAVAL

:)

Aspásia disse...

BURLESCONI, PAULO, DAVID, VAREIRA

AINDA BEM Q GOSTARAM. MEUS QUERIDOS.
GRATA PELAS BONITAS PALAVRAS EM PROSA E VERSO.

BEIJINHOS.

:)

Aspásia disse...

PÉROLA E MOVIMENTO

GRATA PELA VISITA E DESEJO BOA SORTE NOS VOSSOS EMPREENDIMENTOS.

BEIJINHOS
:)

Aspásia disse...

ALQUIMISTA

OBRIGADA MEU LINDO....

DE MOMENTO TENHO A CABECINHA DEBAIXO DE UMA LÂMPADA DE 100 W... DEVE SER DISSO...

BEIJINHOS MAROTOS

;))

PS - SUPONHO QUE CUPIDO O VISITARÁ NESTE CARNAVAL... CONSTOU-ME...

Aspásia disse...

MARTA

GRATA PELOS ELOGIOS.
AINDA ASSIM, OS DESGOSTOS DE AMOR NÃO SÃO MAUS DE TODO... COMO SE SABE, EM GERAL ATÉ INSPIRAM MUITO...

BEIJINHOS.

:))

Aspásia disse...

NOTA:

ESTE POEMA FOI ESCRITO EM 1998.

Anónimo disse...

Lindo e intemporal...

Beijo doce linda...

Pah

Aspásia disse...

PAHZITA

INTEMPORAL COMO OS SENTIMENTOS HUMANOS DESDE QUE O HOMEM É HOMEM E A MULHER É MULHER...

ENTÃO PERDESTE O BLOG?
ISSO FOI ALGUMA PARTIDA DE CARNAVAL...DEIXA LÁ... NÃO SE PERCAM COISAS MAIS IMPORTANTES! ;)

BOM ENTRUDO APESAR DE TUDO...
BJINHOS INTEMPORAIS :)

Betty Branco Martins disse...

Olá Aspásia

Vim conhecer o teu "espaço" tão cheio de beleza e encanto

Parabéns! Por este fabuloso "Testamento"

Voltarei se não te importares:))

Um beijo

Teresa David disse...

Como sou de Lisboa e vivo em Almada que é só atravessar a ponte, se achares que te posso ajudar em algumas dessas compilações é só dizeres, que nos encontraremos em Lisboa, e falaremos sobre isso.
Entretanto continuação de bom feriado e um beijo amigo
TD

Teresa David disse...

Já fui aproveitar a tarde solarenta para me passear pelo quintal do teu pai, e por lá deixei algumas palavras sinceras. É tão bonito ver pessoas, que como ele, a idade não lhes tolda a qualidade de pensar, sentir, e no caso, escrever.
Bjs
TD

Aspásia disse...

BETTY

JUNTARAM-SE 2 TESTAMENTOS... AQUI E NO QUINTAL, EMBORA MUITO DIFERENTES...

VOLTE QDO LHE APETECER.

BEIJINHOS

:))

Aspásia disse...

TD

GRATA PELA OFERTA... OLHE Q SOU CAPAZ DE ACEITAR...

MAS ATE AO FIM DESTE MES NAO DEVE DAR, POIS TENHO AQUI UNS PROBLEMAS COM UMA MULTIFUNÇÕES Q NAO ME ESTA A DIGITALIZAR E ALEM DISSO TENHO DE PÔR REDE SEM FIOS ATE AO FIM DO MÊS...

QD TIVER ESSAS COISAS RESOLVIDAS DIREI ALGO. LEVARIA TALVEZ UMA COPIAS DE POEMAS DO MEU PAI Q AINDA NAO FORAM PASSADOS NO WORD. MAS ESTE ERA O MAIOR DE TODOS QUE AINDA NÁO ESTAVAM.

GRANDE BEIJINHO E OBRIGADA!

Aspásia disse...

ESTE QUERO DIZER, O "TESTAMENTO DA VELHA", CLARO.

AQUILES disse...

Este é um poema onde transborda a intensidade de alma. A chave deste poema,para mim, está aqui:
Toda a troça, todo o credo,
todo o mel deste segredo,
todo o fel deste degredo,
todo o Inferno, todo o Céu.

Este é um poema de comunhão do ser com o Universo.
Simplesmente, gostei muito.
Obrigado por partilhá-lo.

Teresa David disse...

Então quando quiseres estou ao dispôr, e ainda por cima, escrever no word é coisa que tenho "mestrado", logo faço com uma perna ás costas, e dar-me-ia mto prazer saborear as palavras do teu pai.
o meu email é: teresadavid52@gmail.com, e é mais fácil responderes para lá, pois aqui é maius privado para troca de mensagens deste tipo.Não é que estejamos a falar de nada que não possa ser lido por todos, mas é um assunto talvez mais particular!
Bjs e boa semana
TD

ASPASIA disse...

AMIGOS DE MOMENTO NÕ ESTOU MUITO BEM. EU E O MEU PAI SENTIMO-NOS MAL DE NOITE.
ELE DISSE Q PARECIA Q O CORAÇÃO IA PARAR. DEPOIS DE BEEBR LEITE QUENTE MELHOROU E. TINHA A TENSAO E CORAÇÃO NORMAIS.
COMECEI A DECONFIAR TER SIDO DO JANTAR. NOS QUASE NUNCA COMEMOS CARNE HA ANOS. MAS ONTEM LEMBREI-ME DE FRITAR UMA COSTELETA. COMEMOS METADE CADA UM.

PELAS 3 LA SE DORMIU, MAS EU ESTAVA BESTANTE NERVOSA. COM MEDO DE ELE ME CHAMAR E EU NAO OUVIR, NAO POSSO TOMAR NADA PARA DORMIR.

ACORDEI AS 8 MAL DISPOSTA, PARECIA TER FEBRE E QUE ME CORRIA VENENO NO SANGUE. AINDA POR CIMA FUI LOGO AO QUARTO DELE E COMO RESPIRA MUITO LEVEMENTE AS VEZES ASSUSTO-ME.

LEMBREI-ME ENTAO Q DA OUTRA VEZ Q ELE SE SENTIU MUITO MAL... TB TINHAMOS COMIDO UMA COSTELETA IGUAL AO JANTAR.

PORTANTO DEDUZO Q A CARNE TINHA ALGUM QUIMICO Q NOS ATACOU.

NO ENTANTO A MULHER A DIAS DIZ QUE PODE TER SIDO DO LOURO DO TEMPERO.

DE RESTO DURANTE O DIA O PAI SENTIU-SE NORMAL. EU É QUE AINDA ME SABE A BOCA A PAPEL E FIQUEI MUITO NERVOSA COM TUDO ISTO.

PARA MAI AJUDA UM DOS DISJUNTORES DO QUADRO ELECTRICO Q TEM 50 ANOS, SALTOU E NAO VOLTOU MAIS A FIXAR-SE. DE MODO TIVE DE CHAMAR AI UM ELECTRICISTA E BEM CARO, QUE AGORA LIGOU TODA ACASA NO MESMO DISJUNTOR. AMANHA VEM POR UM QUADRO NOVO.



BEM... ESPERO Q OS AZARES DE 4ª FEIRA DE CINZAS TENHAM FICADO POR AQUI...

ASPÁSIA disse...

AQUILES

OBRIGADA. É UM PRAZER PARTILHAR ESTAS COISAS, ASSIM HAJA SAÚDE E DISPOSIÇÃO POR AQUI.

BEIJINHOS.

ASPASIA disse...

TD

VOU MANDAR TE UM MAIL MAIS LOGO, AMIGA.

MTO OBRIGADA.

Teresa David disse...

Amiga,
Espero que já estejas recuperada e que o teu poeta não te pregue mais sustos!
Fico, então, á espera das tuas notícias.
Um beijo e calma que a nervoseira é inimiga dos problemas estomacais, pois os amplia.
TD

aquiles disse...

Aspásia

O louro é tóxico.

Meu pai, há muitos anos, entrou com amigos no hospital com uma intoxicação desse tempero.

Aspásia disse...

TD

OBRIGADA PELO APOIO. ISTO FOI UM DIA P ESQUECER. EU PODIA INADVERTIDAMENTE TER PIORADO O ESTADO FRAGIL DO MEU PAI.
ENFIM.. JA PASSOU.
AGORA TB JA ESTOU NORMALIZADA MAS LEVEI TEMPO..

QD. PUDER MANDO NOTICIAS MAIS PORMENORIZADS.

BJINHOS.

AQUILES

POIS... A MIHA ENPREGADA TB DISSE O EMSMO E COMO FOI COZINHEIRA A BORDO DE PAQUETES, E FEZ O EXAME DE COZINHEIRA, E NUNCA PUNHAM LOURO EM NADA.

EU DE FACTO PUS MUITO LOURO NAQUELA MALVADA COSTELETA. NAO O COMEMOS, CLARO, MAS PODE TER IMPREGANDO MUITO A CARNE.

RESUMINDO:

ABAIXO OS LOUROS!
VIVAM OS MORENOS!

:)

Aspásia disse...

impregnado

Maria Velho disse...

Aspásia(ainda não é esta que saio de casa!!) tente outras editoras!!! logo á tarde envio-lhe algumas que publicam em cadernos á moda antiga(não do n/tempo pois ainda somos pequenotas)c/cordel e outras editoras que se interessam por ilustres desconhecidas inteligentes, sensíveis e sobretudo c/alma.

ASPÁSIA disse...

M. V.

OBRIGADA PELAS SUAS PALAVRAS DE INCITAMENTO MAS AGORA ANDO É A PENSAR EM PROBLEMAS Q SE TORNAM PREMENTES, INCLUINDO ESCOLHER PAPEIS, LIVROS E COISAS PARA ESVAZIAR A PEQUENA CASA DE MINHA IRMÃ. ESTOU A ESPERA QUE UMA PESSOA DE FAMILIA, MINHA TIA, ME POSSA AJUDAR, MAS TEM-LHE SIDO IMPOSSÍVEL.

TB. ESTAVA MAIS INTERESSADA AGORA EM COMPILAR A POESIA DO MEU PAI, QUE A MINHA SE CALHAR PODE ESPERAR MAIS UNS TEMPOS, PELA LEI NATURAL DAS COISAS.

NO ENTANTO VOU VER SE COMEÇO A ARRUMAR ALGUMA DA MINHA TB.
MUITA DELA JÁ ESTA NESTE BLOG E NO DA MJ.

BEIJINHOS

Maria Velho disse...

...e ajuda? Precisa?
Consta cá por casa , e não só, que organizar é comigo.Se achar que os meus préstimos têm préstimo não hesite.